Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 05/02/2014

Soja precoce pode ter produtividade maior e antecipar a safrinha

Instituição está apresentando duas novas variedades de soja precoce ao mercado sul-mato-grossense.

Anderson Viegas com assessoria

O cultivo de variedades precoces de soja pode resultar em uma produtividade maior ao agricultor, já que o plantio é realizado logo no início do período estabelecido no zoneamento agrícola e possibilita ainda a antecipação da semeadura do milho safrinha, no sistema de rotação de culturas.

A avaliação foi feita pelo supervisor de Prospecção e Avaliação de Tecnologias da Embrapa Agropecuária Oeste, Milton Padovan, ao falar sobre as duas novas variedades, a BRS 359 RR e a BRS 360 RR, as duas de ciclo precoce, que a instituição está apresentado ao mercado.

"Com o plantio antecipado de milho-safrinha, aumentam as possibilidades de ganhos de produtividade da cultura, pois a lavoura fica menos exposta a estiagem e ao frio, inclusive evitando possíveis geadas, que geralmente ocorrem no final do ciclo", explica Padovan.

A apresentação das novas variedades está sendo feita por meio da participação de técnicos da instituição em uma série de eventos em alguns dos principais polos produtores de grãos em Mato Grosso do Sul, como Dourados, Caarapó, Maracaju, Ponta Porã, Laguna Carapã, São Gabriel do Oeste e Jardim.

Em relação as novas variedades, a Embrapa aponta que a BRS 359 RR, é um a variedade recomendada para Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo e que pode ser plantada a partir do início de outubro, tem alto potencial produtivo e resistência a doenças como o cancro da haste e podridão radicular de fitóftora, e ao nematoide reniforme, além de moderada resistência a mancha “olho-de-rã”, oídio e ao nematoide de galhas Meloidogyne incognita.

Já a BRS 360 RR também tem plantio recomendado para os três estados, é considerada de ciclo precoce, com grupo de maturidade relativa (GMR) igual a 6.2, além de possuir alto potencial produtivo. Apresenta resistência a várias doenças foliares e de raízes, tais como: cancro da haste, podridão radicular de fitóftora e ao nematoide reniforme. É moderadamente resistente a mancha “olho-de-rã” e ao nematoide das galhas Meloidogyne incognita.