Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 10/10/2013

CTC e Esalq vão desenvolver leveduras para o etanol celulósico

Objetivo é avaliar material disponível no mercado e aprimorá-lo.

Da Redação

O Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) e a Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, da Universidade de São Paulo (USP) firmaram nesta segunda-feira (7) uma parceria para o desenvolvimento de leveduras para o processamento de etanol de segunda geração, o etanol celulósico (2G).

Segundo a Esalq, vão participar do projeto cerca de nove pesquisadores das duas instituições. O objetivo é avaliar as leveduras que já estão no mercado para o produção do etanol 2G e quais as melhorias que podem ser implementadas nelas.

O diretor da Esalq, José Vicente Caixeta Filho, destacou a importância da parceria.“Temos certeza de que este é o início de uma nova fase de relacionamento, pois visualizamos a perspectiva de compartilhamento de pesquisadores externos, que venham ao Brasil e que passem um tempo na Ealq e no CTC. Essa união é fundamental para viabilizar uma série de outras iniciativas”.

Por sua vez, o assessor técnico da Presidência do CTC, Jaime Finguerut, destacou que a união com a Esalq representa mais um passo para estabelecer uma produção sólida e viável do etanol celulósico.

“Essa tecnologia vai revolucionar a produção de etanol no País, tornando esse biocombustível mais competitivo do que nos dias atuais, abrindo oportunidade para uma nova indústria e uma nova geração de profissionais que atuarão neste setor. Para o CTC é também uma grande oportunidade de finalmente formalizarmos esse trabalho em conjunto. Temos dezenas de anos de interação produtiva, mas só agora conseguimos abrir um caminho formal”.