Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 29/07/2013

Três Lagoas sedia Congresso Internacional de Celulose e Papel

Evento será realizado entre os dias 30 de julho e 1º de agosto.

Da Redação

De 30 de julho a 1º de agosto, a Fibria participa e apoia a 1ª Semana de Celulose e Papel de Três Lagoas, realizada no Senai, que será uma prévia do ABTCP 2013 - 46º Congresso e Exposição Internacional de Celulose e Papel, principal encontro do setor na América Latina.

O evento é voltado para estudantes, trabalhadores e interessados em conhecer mais sobre o panorama geral da produção de celulose e papel. Entre as atividades, serão debatidos assuntos técnicos como eficiência energética, meio ambiente, produção de celulose e papel, segurança em caldeiras, entre outros. “Para sustentar esse aumento de produção, será necessário um contingente maior de profissionais capacitados em celulose e papel. Nesse sentido, estamos promovendo o primeiro evento local, para incentivar a capacitação dos atuais profissionais e o treinamento dos futuros trabalhadores do setor”, observa o gerente técnico da ABTCP, Claudio Chiari, que fará a abertura oficial do evento.

Durante a abertura, o gerente-geral industrial da Fibria, Renato Ottoni, fará uma apresentação institucional da Unidade. “Desde o início da construção da fábrica, a Fibria sempre foi muito bem acolhida na cidade. Nossos valores buscam o crescimento sustentável com geração de valor e a atuação de maneira responsável, transparente e ética. Apesar do negócio florestal ainda ser uma novidade, os moradores de Três Lagoas e das cidades vizinhas têm buscado compreender cada vez mais o assunto e participado de qualificações”.

Recentemente a Fibria conquistou a marca de 5 milhões de toneladas de celulose produzidas em Três Lagoas, considerando a partida da fábrica em 2009. Fato considerado inédito mundialmente, devido ao curto prazo da operação, aliada a alta tecnologia empregada nas operações e a qualificação e o empenho das equipes.

No segundo dia do evento, o gerente de recuperação química e utilidades, Fernando Raasch Pereira, irá ministrar uma palestra sobre o painel energético por meio da biomassa. “A energia elétrica é um insumo de altíssimo custo e para um processo eletricamente intensivo como é o caso do de produção de celulose, a não geração interna da energia elétrica necessária, com certeza inviabiliza o negócio, tornando o mesmo não competitivo. O ganho contextualizado fica por conta do atendimento da demanda de energia elétrica a partir de combustíveis totalmente renováveis e gerados no próprio processo de produção de celulose a partir de sua matéria prima que é a madeira”, explica Pereira.

Desde o início do ano, a Fibria elevou sua produção de energia excedente, após autorização da ANEEL, de 30 para 50 megawatts/hora. Isso foi possível a partir de pequenas correções no projeto original da fábrica, possibilitando maior aproveitamento da biomassa sólida gerada no processamento da madeira. Com isso, a Fibria/MS sai de uma geração de 120 para aproximadamente 140 megawatts/hora. Como curiosidade, esse excedente é suficiente para abastecer uma cidade de aproximadamente 200 mil habitantes.

A ABTCP também trará para Três Lagoas, um treinamento específico de manutenção, em parceria com a NSK, para atender aos alunos de celulose e papel do SENAI. “Esperamos capacitar e treinar durante os três dias mais de mil alunos e funcionários das empresas”, afirma a coordenadora técnica da ABTCP, Viviane Nunes.

Sobre o ABTCP 2013

Painéis como o de Eficiência Energética, Meio Ambiente, Papel e Celulose também farão parte do ABTCP 2013 - 46º Congresso e Exposição Internacional de Celulose e Papel, em outubro. Estão previstas de oito a dez palestras por dia destes e de outros temas relevantes ao setor, incluindo uma sessão técnica florestal, realizada em conjunto com o IPEF – Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais.

O ABTCP 2013 é realizado em parceria com a PI – Paper Engineers’ Association, da Finlândia, e acontece esse ano no momento de crescimento do mercado brasileiro de celulose e papel.

Nesta edição, a exposição contará, pela primeira vez, com a participação dos fabricantes de celulose e papel – e não apenas dos fornecedores do setor, como usualmente ocorria -, o que acrescentará ainda mais valor ao networking gerado pelo evento entre todos os elos da cadeia de celulose e papel.