Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 02/07/2013

MS é o terceiro maior produtor de milho safrinha

Na próxima segunda-feira (10), a Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS) fará a abertura oficial da colheita do milho safrinha.

Famasul

Mato Grosso do Sul é o terceiro Estado que mais produziu milho safrinha no ciclo 2012/13, de acordo com os indicativos de produção divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O Estado repete sua colocação no ranking de produção da safra 2011/12, superado apenas por Mato Grosso e Paraná.

Na próxima segunda-feira (10), a Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS) fará a abertura oficial da colheita do milho safrinha em Maracaju.

De acordo com Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio de MS (SIGA), elaborado pelos técnicos da Aprosoja/MS, a produção do milho safrinha do Estado no ano passado foi de 6,1 milhões de toneladas, 9% a menos que a expectativa da safra atual que corresponde a 6,6 milhões.

Quanto a área destinado ao cultivo do milho safrinha, verifica-se o acréscimo de 18,4% em relação ao ano passado, quando os produtores de MS plantaram em 1,1 milhões de hectares, contra 1,4 milhões na safra atual.

O município de Maracaju se destacou como o principal município produtor de milho safrinha, com uma área estimada em 200 mil hectares e produção de 1,02 milhões de toneladas, representando 14% da área cultivada nesta safra e 15% da produção do Estado.

Abertura

A abertura oficial da colheita do milho safrinha acontecerá em Maracaju, segunda-feira (10) às 14h. Imprensa, técnicos e diretores da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Sistema Famasul) participarão do lançamento, na Estância Maracaju, localizada 2,3 quilômetros do Trevo Água Fria.

A Estância Maracaju, de propriedade do agricultor, Roberto Oliveira Silva Júnior, dispõe de 1,4 mil hectares plantados com milho safrinha e prevê a colheita de 4,8 mil toneladas do grão. Com silo próprio, de capacidade estática de armazenamento para 80 mil sacas, Silva que já produz há 20 anos, comercializou cerca de 20% de sua produção, antecipadamente.