Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 07/06/2013

Fibria faz parada geral de manutenção programada a partir de sexta

A ação realizada anualmente começa no dia 7 e envolve cerca de 1.300 trabalhadores.

Da Redação

A partir da próxima sexta-feira (7), cerca de 1.300 trabalhadores, de 75 empresas, atuarão na Parada Geral da unidade da Fibria em Três Lagoas.

Esse período de interrupção de produção, que segue até o dia 16 de junho, é comum em fábricas de celulose e importante para garantir a integridade dos equipamentos e, por conseguinte, garantir a continuidade operacional bem como a segurança nas instalações industriais.

Durante a Parada são realizadas simultaneamente as manutenções e ajustes dos equipamentos das linhas de produção, bem como a implementação de melhorias.

O investimento na Parada Geral de 2013 da Fibria, em Três Lagoas, considerando materiais e serviços, consomem nos 10 dias de parada, aproximadamente, 1/3 de todo orçamento anual de manutenção da unidade.

Entre as atividades a serem realizadas, está a inspeção da caldeira de recuperação, que é uma obrigação legal estabelecida por meio da NR-13 (Norma regulamentadora 13 – Caldeiras e vasos de pressão).

“Devido a dimensão da Parada Geral, ela é conduzida e tratada como um grande projeto dentro da empresa, por isso, todo o planejamento é realizado utilizando as melhores práticas do PMBOK, visando sempre a segurança dos trabalhadores, cumprimento das demandas ambientais, qualidade na execução e cumprimento dos prazos e orçamento”, explica o gerente de manutenção da Fibria, Fabrício Stange.

O termo PMBOK (Project Management Body of Knowledge), é um guia que prevê diretrizes e define conceitos associados à gerência de projetos. O PMBOK também descreve o ciclo de durabilidade do gerenciamento do projeto e seus processos relacionados.

Das empresas que estarão empenhadas na Parada Geral, a maioria atua na área de manutenção e montagem industrial, sendo que 60% são de São Paulo, 15% do Espírito Santo, 15% de Mato Grosso do Sul e 10% da região sul do país.

Segundo Stange os trabalhadores se dividirão para cumprir as atividades dentro do cronograma. “Além de todos os profissionais e parceiros fixos, contamos com aproximadamente 1.300 pessoas para a execução das 2.125 ordens de trabalho que serão executadas na Parada Geral”.