Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 07/06/2013

Ministro acredita em solução pacífica para conflito agrário

José Eduardo Cardozo veio ao Estado para acompanhar de perto a situação e mostrar apoio nas negociações.

Notícias MS

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, fez uma avaliação positiva acerca da sua visita a Mato Grosso do Sul na manhã desta quarta-feira (5). Cardozo, que sobrevoou as áreas ocupadas na região de Sidrolândia acompanhado do governador André Puccinelli e conversou com lideranças indígenas, disse em entrevista coletiva que saiu de Campo Grande com a nítida impressão que a solução dos problemas se dará através do diálogo.

O ministro, que veio ao Estado para acompanhar de perto a situação e mostrar apoio nas negociações, se colocou à disposição de ambas as partes envolvidas no processo para que a saída seja encontrada de forma efetiva, rápida e de maneira não violenta. “Quanto mais claro for o processo, melhor para o índio e melhor para o fazendeiro. O Objetivo é a paz, queremos acabar com a violência e fazer com que ela não perdure”, destacou.

Cardozo destacou ainda que há um empenho muito grande dos governos Federal e Estadual para que a situação seja resolvida o mais rápido possível e de forma transparente. “Marcamos uma reunião com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e com o presidente do Tribunal Regional Federal, Newton de Lucca, para discutir a forma de equacionar essa situação. Esta é uma questão do Estado brasileiro”, reiterou.

O ministro foi taxativo ao afirmar que não é a favor da violência no campo e reforçou a ideia de que o conflito será resolvido de forma amigável. “Precisamos dialogar com ambas as partes. Queremos diálogos sem abuso e se houver, todo e qualquer abuso deve ser punido. Com violência não chegamos a lugar algum. Saio de Mato Grosso do Sul esperançoso com a redução da violência”.

Força Nacional

Outro ponto destacado durante a coletiva de imprensa foi o papel da Força Nacional de Segurança, que enviou ao estado 110 homens. Cardozo informou que a presença deste efetivo não se dá em função do cumprimento de uma ordem judicial específica, mas sim para manter a ordem na região. “A presença da Força Nacional é para reintegrar a paz e atuar junto à Secretaria de Justiça e Segurança Pública no evitar de conflitos e auxiliar as forças policiais do Mato Grosso do Sul a manter a ordem. Isso tudo é para dar tranquilidade a todos os cidadãos de Mato Grosso do Sul,” finalizou.

Além da Força Nacional, o Ministério da Justiça também reforçou o efetivo da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul com mais cem homens.