Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 14/05/2013

Bom manejo e adubação adequados garantem qualidade da safra de soja

Produtores rurais recebem orientação durante Divulgação de Resultados neste mês de maio.

Fundação MS

Aspectos de fertilidade, adubação e manejo de solo são alguns dos assuntos que fomentam a discussão entre os produtores rurais do Estado. Para esclarecer dúvidas e orientar produtores, pesquisadores da Fundação MS apresentam resultados de pesquisas realizadas em várias cidades produtoras de soja e milho.

De acordo com o diretor executivo e pesquisador da Fundação MS, Renato Roscoe, a correção da acidez do solo é fundamental para o bom andamento da safra. “Sobre esse assunto, este ano estamos trazendo uma discussão que está colocando em dúvida produtores e assistentes técnicos: a aplicação do chamado calcário líquido”.

O pesquisador esclarece em sua palestra que o calcário líquido, embora corretivo, nas doses recomendadas pelos fabricantes não tem nenhum efeito significativo sobre a acidez do solo e fornece quantidades insuficientes de cálcio(Ca) e magnésio(Mg) para a plantas.

Outro tópico apresentado foram os resultados de trabalhos de longa duração, os quais visam a correção dos teores de fósforo(P) no solo. O fósforo(P) é um nutriente importante na cultura da soja, e seus baixos teores em solos de cerrado podem comprometer os resultados. “A correção de fósforo no solo pode ser feita de uma só vez, a chamada correção total da área, ou gradualmente com pequenas quantidades excedentes de fósforo(P) nas adubações anuais em sulcos”, explica o pesquisador.

Segundo Roscoe, os resultados apresentados para solos de Mato Grosso do Sul confirmam o que se observa em outras partes do cerrado brasileiro. “É possível construir a fertilidade do solo, elevando os teores médios de fósforo, tanto com a utilização de doses elevadas na abertura como com excedentes de adubações anuais, o que vai definir a melhor opção é a relação de troca entre produto e fertilizante”, ressalta. O pesquisador recomenda correções em área total somente quando essa relação está favorável.

Apresentação de Resultados

Este ano, mais de 400 produtores rurais já acompanharam os seminários de Apresentação de Resultados das pesquisas realizadas pela Fundação MS. Os assuntos abordados referem-se à cultura da soja: fertilidade do solo e adubação, controle pragas e doenças e posicionamento de variedades.

Durante a 49ª Expoagro, cerca de 200 produtores rurais, profissionais da assistência técnica e estudantes do município de Dourados e região puderam acompanhar de perto os trabalhos desenvolvidos pela entidade, além de esclarecer dúvidas e trocar informações.

O produtor Lúcio Damália cultiva 320 hectares de soja e milho na região de Douradina e procura acompanhar de perto os trabalhos realizados pela Fundação MS. Para ele, este contato direto com uma instituição de pesquisa estreita o canal de troca de informações valiosas que podem ser aplicadas diretamente na propriedade.

“Acredito que a apresentação dos resultados feita de forma direta ao produtor transmite a informação de forma segura para que não tenhamos dúvida na hora de executar a teoria”, afirma o produtor. Damália acredita que com a facilidade na propagação de pragas e a evolução das doenças, há a necessidade de uma resposta rápida do produtor para que o impacto sobre a produção possa ser minimizado, evitando-se assim uma perda significativa.

Para Roscoe a discussão com os produtores é fundamental e um momento importante de troca de informações e de definições de rumos para os trabalhos da Fundação MS. “Aprendemos muito com as apresentações de resultados, pois nos alimentamos com as observações e com as experiências dos produtores e assistentes técnicos”.

Os seminários já passaram pelas cidades de Rio Brilhante, Sidrolândia e Dourados e ainda percorrem mais cinco municípios até o fim deste mês: Naviraí, Maracaju, São Gabriel do Oeste, Amambai e Itaporã (ainda sem data definida).