Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 30/04/2013

Centro-Sul deve moer 589,6 milhões de toneladas de cana na safra 2013/2014

Previsão foi divulgada nesta segunda-feira (29) pela Unica.

Unica

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), em conjunto com o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), sindicatos e associações do setor sucroenergético, anunciou hoje sua estimativa para a safra 2013/2014 de cana-de-açúcar da região Centro-Sul. A projeção indica uma moagem de 589,60 milhões de toneladas, crescimento de 10,67% em relação aos 532,76 milhões de toneladas processadas na safra anterior.

Os dados compilados pela UNICA, bem como o mapeamento com imagens de satélite da região Centro-Sul feitas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CANASAT – INPE), indicam uma expansão de 6,50% na área de cana-de-açúcar disponível para a colheita na safra 2013/2014.

Além da maior área disponível para colheita, a expectativa é de um aumento significativo da produtividade agrícola. Este aumento decorre, principalmente, da redução da idade da lavoura e da melhor condição climática observada nos últimos meses, que favoreceu o crescimento da planta.

O elevado índice de renovação do canavial, que atingiu 20,49% da área total, diminuiu a idade média da lavoura a ser colhida na safra 2013/2014. Como reflexo desse maior índice, estima-se um aumento de 3,10% na produtividade - esse é o chamado efeito tombamento, que relaciona a idade do canavial à produtividade agrícola média da área. Ainda, as condições climáticas favoráveis e demais variáveis que influenciam o rendimento agrícola (incidência de florescimento, probabilidade de geada, índice de infestação de pragas e doenças, etc) devem resultar em um crescimento adicional projetado de 4,57% na produtividade.

Como resultado final, o rendimento de 74,30 toneladas de cana-de-açúcar por hectare registrado na safra 2012/2013 na região Centro-Sul deverá alcançar 80,00 toneladas por hectare na atual safra, expressiva alta de 7,67%.

Este aumento de 7,67% na produtividade agrícola e a mencionada expansão de 6,50% na área de colheita deverá resultar em um crescimento total superior a 14% na disponibilidade de cana-de-açúcar para a produção de açúcar e de etanol. Contudo, acredita-se que não será possível processar todo este montante de matéria-prima até o final de primeira quinzena de dezembro de 2013.

Segundo o diretor técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, o início desta safra foi muito chuvoso, comprometendo seriamente a moagem estimada para o final de março e para a primeira quinzena de abril. "Dificilmente conseguiremos compensar essa perda ao longo da safra e, portanto, assumimos que o valor histórico de 1,5% de cana bisada poderá atingir 3,5% em 2013/2014, ou seja, 3,5% da matéria-prima disponível deverão ser processadas apenas no começo da safra 2014/2015," concluiu.

De fato, dados da safra atual apurados até o momento indicam uma moagem acumulada de apenas 8,82 milhões de toneladas até 15 de abril. Esse valor é significativamente inferior as 27,74 milhões de toneladas moídas até a mesma data na safra 2010/2011, quando o volume de cana-de-açúcar disponível para processamento também era elevado.

Qualidade da matéria-prima

A projeção indica uma qualidade da matéria-prima de 136,70 kg de Áçúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar na safra 2013/2014, índice 0,83% superior aos 135,57 kg registrados na safra passada.

“No último ano, o período chuvoso se prolongou até o início de junho. Nesta safra, a expectativa é de que isso não se repita, viabilizando um aumento na concentração de açúcares na planta durante esse período”, explicou Rodrigues.

Quanto à quantidade de produtos totais obtidos a partir da cana-de-açúcar processada, estima-se que seja 11,59% superior na safra 2013/2014 relativamente à anterior, alcançando 80,60 milhões de toneladas de ATR. Este crescimento é decorrência do incremento de matéria-prima a ser processada e do maior teor de açúcares na planta.

Novas unidades produtoras

Na avaliação da UNICA, apenas três novas unidades produtoras iniciarão suas atividades na safra 2013/2014 na região Centro-Sul. Este número é significativamente menor que o registrado nos últimos anos, quando se observou até 30 novas usinas em uma única safra.

Além da redução na quantidade de novas unidades produtoras, 12 usinas que processaram cana-de-açúcar na safra passada poderão não operar este ano devido a problemas financeiros. Caso esse número se confirme, haverá uma perda de capacidade de moagem superior a 18 milhões de toneladas de cana e uma redução na capacidade de produção de açúcar de 500 mil toneladas na região Centro-Sul.

Produção de açúcar e de etanol

Do total da moagem de cana-de-açúcar projetada para a safra 2013/2014, a UNICA estima que 46,22% terá como destino a fabricação de açúcar, percentual inferior aos 49,54% registrados na safra anterior. Portanto, em 2013 haverá uma reversão da tendência observada nos últimos anos, com um crescimento na proporção de matéria-prima direcionada à produção de etanol.

Nesse cenário, a produção de açúcar estimada totaliza 35,50 milhões de toneladas, alta de 4,11% em relação às 34,10 milhões de toneladas fabricadas na safra 2012/2013. O volume produzido de etanol, por sua vez, deverá atingir 25,37 bilhões de litros, expressiva alta de 18,77% quando comparado à produção da última safra, de 21,36 bilhões de litros.

Destes 25,37 bilhões de litros, 14,17 bilhões de litros referem-se ao etanol hidratado – aumento de 12,18% em relação aos 12,63 bilhões de litros produzidos na safra anterior. O restante, 11,20 bilhões de litros, será representado pelo etanol anidro – considerável alta de 28,29% comparativamente ao volume observado no último ano.

A maior produção de etanol anidro projetada para a safra 2013/2014 se justifica pelo aumento do nível de mistura do produto na gasolina a partir de maio, quando o valor atualmente observado de 20% passará a ser 25%.

Para o diretor da UNICA, “o aumento do preço da gasolina no início deste ano, o maior teor de etanol anidro na gasolina e a recente desoneração do Pis/Cofins cobrado sobre o etanol, aliado ao superávit no mercado mundial de açúcar, tornaram a produção do biocombustível mais atrativa para o produtor. Isto explica a safra mais alcooleira esperada para esse ano," acrescenta o executivo.

Produção da safra 2013/2014 acumulada até 15 de abril de 2013

O volume de cana-de-açúcar processado na região Centro-Sul durante a primeira quinzena de abril da safra 2013/2014 somou 6,98 milhões de toneladas. Já no acumulado desde o início desta safra até 15 de abril, a moagem alcançou 8,82 milhões de toneladas, valor muito inferior ao inicialmente previsto devido ao clima desfavorável à colheita.

Nesse período, a produção acumulada de etanol totalizou 356,25 milhões de litros, sendo 285,37 milhões de litros de etanol hidratado e 70,88 milhões de litros de etanol anidro. A produção acumulada de açúcar, por sua vez, atingiu 236,70 mil toneladas. Com isso, a proporção de cana-de-açúcar direcionada à produção de etanol alcançou 70,80% até 15 de abril, acima dos 64,89% computados no mesmo período de 2012.

Conforme atenta o executivo da UNICA, a produção observada até o final da primeira quinzena de abril, apesar de levemente superior àquela verificada na safra 2012/2013, ficou muito aquém da nossa expectativa. "No último ano, o baixo volume de cana-de-açúcar disponível para moagem levou a maior parte das unidades produtoras a adiar o início da safra. Diferentemente, neste ano, a disponibilidade de matéria-prima aumentou sensivelmente e, por consequência, boa parte das usinas antecipou o início da moagem. Apesar dessa antecipação, o excesso de chuvas até a primeira metade de abril dificultou muito a colheita," explicou.

Para a segunda quinzena do mês, a expectativa remete a um melhor aproveitamento de moagem, já que não houve perdas significativas de dias de moagem até o momento. Além disso, 190 usinas já se encontram em operação no Centro-Sul.