Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 22/04/2013

Setor industrial de MS cria 5 mil novas vagas, aponta Radar da Fiems

Com o saldo obtido em março deste ano, a indústria do Estado alcança a marca total de 134.883 postos formais de trabalho.

Fiems

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, criou, de janeiro a março deste ano, 5.058 novos postos formais de emprego, consolidando-se, no período, como o maior gerador de vagas de trabalho no Estado, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego. Até o momento, o segmento que mais criou vagas foi o da indústria da construção civil, com 2.871 nos três primeiros meses do ano, enquanto o da indústria de transformação abriu 2.085 vagas e o de serviços industriais de utilidade pública gerou 107 vagas.

Segundo o presidente da Fiems, Sérgio Longen, a indústria continua demonstrando força na economia do Estado com a constante geração de empregos, já respondendo por 60,4% do saldo total de postos de trabalho criados em Mato Grosso do Sul até agora. "Somente em março de 2013, o setor foi responsável pela abertura de 2.347 postos formais de trabalho", destacou. Além disso, nos últimos 12 meses, a cada 30 dias foram abertos, em média, 786 postos formais pela indústria sul-mato-grossense, totalizando, nesse período, a abertura de 9.442 vagas, o que corresponde a 43,7% dos novos empregos criados em Mato Grosso do Sul.

Com o saldo obtido em março deste ano, a indústria do Estado alcança a marca total de 134.883 postos formais de trabalho, ficando atrás somente dos setores de serviços, com 172.992, e da administração pública, com 135.888, e à frente do comércio, com 119.410, e da agropecuária, com 67.389. No geral, Mato Grosso do Sul chega à marca de 630.562 vagas de trabalho preenchidas, indicando uma elevação equivalente a 1,69% sobre o estoque total verificado no fim de 2012. Na mesma comparação, o crescimento do estoque por segmento econômico passou a ser de 3,9% para a indústria, de 2,28% para a agropecuária, de 4,48% para a administração pública e de 1,26% para serviços, enquanto o setor do comércio teve queda de 0,45%.

Índice de Evolução do Emprego

Já com relação ao Índice de Evolução do Emprego Formal na Indústria, o segmento industrial, na posição verificada em março de 2013, foi de 197,6 pontos, indicando um crescimento de 97,6% sobre o estoque do ano base de 2005, quando o setor tinha 68.269 trabalhadores. Na mesma comparação, o setor de serviços apresentou um índice de 173,5 pontos e crescimento de 73,5%, o comércio com 149,1 pontos (+49,1%), a agropecuária com 122,7 pontos (+22,7%) e administração pública com 116,9 pontos (+16,9%), enquanto no caso do emprego formal total em Mato Grosso do Sul o índice de evolução alcançou a marca 150,4 pontos (+50,4%).

Constata-se, deste modo, que no período compreendido entre 2005 e 2013, até o mês de março, o ritmo de expansão do emprego formal na indústria em Mato Grosso do Sul foi 31% maior que àquele apresentado pelo conjunto da economia estadual. Na mesma comparação, em relação aos segmentos de serviços, comércio, agropecuária e administração pública, o ritmo de expansão da indústria foram maiores em 14%, 32%, 61% e 69%, respectivamente.

Já na comparação com o mês imediatamente anterior, o índice de evolução do emprego se comportou da seguinte maneira: indústria (+2,11%), serviços (+0,62%), agropecuária (+0,87%), comércio (-0,12%) e administração pública (+0,10%). Por fim, quando comparado com igual mês do ano anterior, o índice de evolução do emprego formal apresentou o seguinte desempenho: emprego total (+3,9%), serviços (+5,1%), comércio (+3,5%), indústria (+8,1%), administração pública (0,0%) e agropecuária (1,5%).