Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 12/04/2013

Incra destina 5% dos lotes da reforma agrária para jovens

Órgão diz que jovens terão atrativos para desenvolver atividades rurais, como assistência técnica e financiamento.

Incra

A partir deste ano, 5% dos lotes da reforma agrária serão destinados aos jovens rurais. A medida já pode ser aplicada na instalação do mais novo assentamento de Mato Grosso do Sul, o Nazareth, situado em, Sidrolândia, com 2,5 mil hectares. Segundo o superintendente do Incra no estado, Celso Cestari, os jovens terão atrativos para desenvolver atividades rurais, como, por exemplo, assistência técnica e financiamento à agroindustrialização.

Ele ressaltou que os incentivos dados pela reforma agrária à juventude chegam acompanhados de uma escolaridade compatível com o que está exigindo as novas tecnologias de produção agrária. Neste sentido, lembrou a parceria estabelecida com a Universidade Federal da Grande Dourados que vai implantar um campos no assentamento Eldorado, em Sidrolândia, município que concentra o maior número de assentamentos no estado, 20 unidades.

“A reforma agrária está mudando para ser cada vez melhor. Além da oportunidade dada aos jovens, estamos aplicando meios para acelerar o início da produção entre os novos assentados. Um dos exemplos é a assistência técnica que será iniciada imediatamente ao acesso do beneficiário à terra. De um modo geral são várias as novidades empregadas a partir deste ano. Podemos destacar também o programa Minha Casa Minha Vida Rural, da Caixa Econômica Federal, para a construção das moradias nos assentamentos”.

Nesse seguimento de novidades, existe um destaque no sistema de crédito que é o Terra Forte, ainda conforme explicou Cestari. “O programa Terra Forte está disponibilizando inicialmente R$ 300 milhões para a industrialização nos assentamentos do Incra. Não existe teto para os empréstimos que serão liberados pelo BNDEES, Fundação Banco do Brasil, Ministério do

Desenvolvimento Agrário e Ministério do Desenvolvimento Social”.

Finalmente, o superintendente refirmou a necessidade de cada um dos interessados em ser inseridos no programa de reforma agrária, estar inscrito no cadastro único, o CadÚnico, do governo federal. As inscrições podem ser feitas nas prefeituras municipais.