Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 21/01/2013

MS sedia fórum regional do sistema OCB na próxima semana

Evento contará com a presença do presidente da OCB, Márcio Freitas.

OCB/MS

O Sistema OCB/MS recebe na próxima terça-feira (22), o presidente e os diretores do Sistema OCB , Márcio Freitas (foto em destaque), Edivaldo Del Grande, João Nicédio Alves Nogueira, João Paulo Koslovski e Petrúcio Pereira de Magalhães Júnior, os superintendentes Renato Nóbile e Luis Tadeu Prudente Santos e os presidentes, superintendentes e lideranças das organizações estaduais do Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal, para participar do Fórum de Presidentes e Superintendentes - Região Centro-Oeste . A reunião é destinada a discutir os desafios do cooperativismo e planejar as próximas ações do setor tomando como base as contribuições de cada região brasileira.

A iniciativa integra o novo modelo de gestão adotado pelo sistema, que tem como uma das metas promover o fortalecimento do setor por meio da integração regional. Os eventos tiveram início em dezembro, começando por Manaus, reunindo os líderes do Norte, no dia 12, no dia 14, em Fortaleza, aconteceu a reunião com os cooperativistas do Nordeste e dia 14 de janeiro foi a vez da região Sudeste.

Novo modelo de governança

Os fóruns seguem o novo modelo de governança adotado desde o ano passado pela OCB, que visa o fortalecimento do setor por meio da integração regional. Na avaliação do presidente executivo da OCB, Márcio Lopes de Freitas, é um trabalho que está se legitimando. “Fiquei satisfeito por ter sido convidado pela diretoria para estar coordenando esse trabalho e estou observando os primeiros resultados positivos desse processo”, afirmou Freitas. “Nessa rodada, que nós chamamos de nucleação, formada por reuniões regionais, estamos observando que a base, ou seja, as cooperativas, quer realmente isso e tem essa expectativa, o que nos dá muita satisfação poder dar esse retorno. O modelo está se mostrando acertado e acredito que precisamos estar constantemente evoluindo para dar as respostas adequadas à nossa base”, acrescentou.

Propostas

Para Freitas, as sugestões apresentadas nos Fóruns Regionais demonstram amadurecimento do setor. “São propostas extremamente coerentes e que mostram a evolução das cooperativas. O nível de cobrança está muito mais amadurecido. É claramente perceptível que o sarrafo está subindo de nível. As cooperativas estão exigindo cada vez mais uma representação profissional, de melhor nível, de maior sofisticação. Isso é sinal de que o setor está evoluindo nas suas estruturas e, naturalmente, nas suas necessidades”, afirmou.

Evolução natural

O presidente da OCB ressaltou que o novo modelo de governança do sistema segue um processo de evolução natural do cooperativismo brasileiro. “O que o Sistema OCB está fazendo é tentar dar a resposta que o cooperativismo moderno, contemporâneo, vem cobrando da sua representação. Isso ficou muito claro quando nós realizamos o Congresso Brasileiro do Cooperativismo, em 2010, ou seja, que as cooperativas ansiavam por uma representação mais moderna, mais preparada, mais profissional”, frisou.

“Quando fizemos o planejamento estratégico da OCB para o período de 2010 a 2013, essa proposta também ficou registrada em nossa agenda. Ainda, no momento em que nós propusemos uma mudança no processo de governança e essa mudança foi encabeçada inclusive pelo João Paulo, presidente da Ocepar, que honra a chapa da diretoria e coordenou a elaboração de uma chapa para disputar a eleição na OCB, isso estava estabelecido como meta prioritária. Fazer uma mudança no modelo de governança que levasse a um processo de maior integração entre a base cooperativista e o comando da representação e é isso que está acontecendo agora. Estamos no caminho certo, estou muito feliz de estar participando dessa nova etapa do cooperativismo”, completou.

Positivo

O presidente da OCB/ES, Esthério Sebastião Colnago, também avalia positivamente a nova forma de gestão implantada pelo Sistema OCB. “As ações devem ser planejadas de forma que cheguem até a base, no associado, para que ele possa valorizar a sua cooperativa, entender a importância dela e que a cooperativa é dele. Dessa forma, o sistema se consolida. Eu acredito que esse é o diferencial desse novo modelo de governança e acho que estamos chegando lá”, afirmou.

Modernização

“A OCB, a partir da decisão tomada no ano passado com a nova diretoria que assumiu o destino do cooperativismo brasileiro, partiu para a modernização, para aquilo que há de apurado no mundo das organizações, que é buscar aprimorar o seu sistema de governança”, disse ainda o presidente da OCB/MS, Celso Ramos Régis. “O que estamos tratando em todos os fóruns que estamos fazendo por regiões, cujo resultado está sendo mandado também para todas as unidades estaduais do Brasil, não tenho dúvida, vai melhorar e muito o processo de deliberação e, acima de tudo, o processo de gestão administrativa, econômica e financeira das organizações estaduais, promovendo um melhor resultado para as cooperativas o que, por conseguinte, vai atingir os nossos cooperados, que são o fim último de todo o sistema”, acrescentou.