Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 18/01/2013

Colheita da soja começa oficialmente em Mato Grosso do Sul

Estado deve ter uma produção recorde neste ciclo, 6,051 milhões de toneladas.

Anderson Viegas

A colheita da safra 2011/2012 de soja começou oficialmente nesta quarta-feira (16), em Mato Grosso do Sul. O Estado deve ter uma produção recorde, chegando a 6,051 milhões de toneladas, o que vai representar um aumento de 30,7% em relação as 4,628 milhões de toneladas colhidas no ciclo anterior, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) que foram referendados pela Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS).

Segundo o presidente da Aprosoja/MS, Almir Dalpasquale, dos cerca de 2,1 milhões de hectares cultivados com o grão no Estado cerca de 7% já foram colhidos pelos agricultores que utilizaram variedades precoces do grão. Esse foi o caso, por exemplo, do produtor Carlos Antonio Brauner, proprietário da Fazenda Estância Priscila, no município de Bandeirantes, onde a colheita da safra foi iniciada de forma oficial.

Na área, Brauner tem 330 hectares cultivados com soja, mas somando as lavouras de outras propriedades, ele tem aproximadamente 2,5 mil hectares plantados com a oleaginosa. Aproveitando os bons preços do mercado, o produtor diz que comercializou de forma antecipada cerca de 40% de produção e investiu na compra de insumos para a próxima safra, a de milho, no inverno. “Vamos terminar a colheita da soja e já começar a plantar o milho. Nossa expectativa é colhê-lo em junho”, revelou.

Conforme o presidente da Aprosoja/MS, apesar das variedades precoces já estarem sendo colhidas, a maior parte da safra sul-mato-grossense de soja deve ser retirada das lavouras a partir de 6 de fevereiro. A projeção da entidade é que até o fim da primeira quinzena de março, toda a produção do Estado tenha sido colhida.

Dalpasquale diz que em dezembro um veranico, fenômeno meteorológico em que ocorre um período de estiagem com alta temperatura, prejudicou boa parte das lavouras do Estado o que deve provocar uma pequena frustração de safra em relação as previsões que haviam sido feitas até o fim do ano passado. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimava em dezembro uma colheita de 6,243 milhões de toneladas e em janeiro revisou para baixo em 192 mil toneladas essa projeção.

Em relação a remuneração do produtor, o presidente da Aprosoja/MS comenta que os preços estão se mantendo em um bom patamar, na faixa de R$ 55 a saca, o que a título de comparação, representa 39,9% a mais do que o valor obtido no mesmo período do ano passado no Estado, que era de R$ 42. Com a commoditie valorizada, ele explica que os agricultores aumentaram a venda futura, que chegou a 45% do total da safra. “Capitalizados eles investiram na compra de fertilizantes e outros produtos para a próxima safra”, detalha.

O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), Eduardo Riedel, por sua vez, destacou que apesar da produção recorde o Estado não deve sofrer neste ciclo com problemas de logística para estocar e escoar sua produção. Ele também destacou o trabalho que vem sendo feito pelas instituições, como a própria Famasul e a Aprosoja, através de iniciativas como o Projeto de Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga), no sentido de disponibilizar ao produtor o maior número de dados possível para auxiliá-lo na tomada de decisões sobre o seu trabalho no campo.

Confira abaixo as fotos da abertura oficial da colheita da soja em Mato Grosso do Sul, na Fazenda Estância Priscila, em Bandeirantes.

Abertura oficial da colheita de soja em MS