Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 12/03/2015

Evento da ABCZ em MS discute sustentabilidade e genética na pecuária

Circuito 100% PMGZ será promovido na próxima quinta-feira (19).

Da ABCZ

Sucesso de público nas duas primeiras etapas, realizadas em Araçatuba (SP) e em Recife (PE), o Circuito 100% PMGZ, promovido pela Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), chega a Campo Grande. O evento acontece no próximo dia 19 de março, a partir das 13h30, no auditório da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), e buscará o diálogo com pecuaristas e técnicos ligados à produção de gado de Mato Grosso do Sul e região, apresentando case importante e opinião de especialistas sobre o melhoramento genético bovino e a sustentabilidade na fazenda.

As inscrições para o evento são gratuitas e já estão abertas no site da entidade: www.abcz.org.br.

A etapa contará com nomes importantes da produção pecuária nacional, tais como Luiz Claudio Paranhos, pecuarista e presidente da ABCZ, Luiz Antonio Josahkian, Superintendente Técnico da ABCZ, Roberto Risolia, líder de sustentabilidade da Dow AgroScience e membro do Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS), Oswaldo Possari, criador de Nelore, Fabyano Fonseca, pesquisador da Universidade Federal de Viçosa, entre outros.

O aumento de produtividade é o foco principal nos trabalhos de melhoramento genético, diz o presidente da ABCZ. Para o dirigente, as taxas atuais de lotação das fazendas destinadas à pecuária no Brasil, que beiram 0,9 unidade animal / hectare, podem ser multiplicadas em várias vezes. Para tal, o desenvolvimento da genética bovina e a gestão sustentável das propriedades rurais são essenciais.

“É com muita satisfação que estamos levando nosso inovador Circuito 100% PMGZ para um Estado tão importante para a pecuária nacional. Creio que levar para Mato Grosso do Sul um conteúdo repleto de informações úteis sobre melhoramento genético e sustentabilidade é contribuir com a pecuária brasileira como um todo, frisando que estas práticas são viáveis e estão ao alcance de todos”, ressalta Paranhos.