Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 02/09/2014

Debate Famasul: Delcídio propõe Secretaria de Assuntos Indígenas

Proposta foi apresentada durante evento realizado nesta segunda em Campo Grande.

Da Famasul

Criação de uma secretaria extraordinária para tratar de questões indígenas e do desenvolvimento da agricultura familiar visando atender demandas de Mato Grosso do Sul relacionadas às disputas por terras e fomentar a atividade agropecuária nas pequenas propriedades. A proposta é um dos itens do plano de governo apresentado pelo candidato ao governo do Estado, Delcídio do Amaral (PT), no encontro com lideranças e produtores rurais realizado pela Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS, nesta segunda-feira (1º), no auditório da Casa Rural.

Para um auditório lotado, o petista se posicionou a favor da indenização pela terra nua, além das bem feitorias, àqueles produtores que tiveram terras reivindicadas por indígenas. E afirmou que após as eleições, o Governo Federal chegará a uma solução sobre a região Buriti, que envolve áreas do município de Dois Irmãos do Buriti e Sidrolândia. “Os produtores apresentaram a contra proposta sobre o valor das terras naquela região. Vamos levar esses valores à Justiça, que com ajuda de um perito chegará ao fim das eleições com solução sobre o real valor das terras”, enfatizou Amaral ao caracterizar a falta de segurança jurídica como “o grande problema de MS”.

A criação de uma secretaria para a agropecuária também é sugestão do candidato Delcídio do Amaral, manifestando intenção de desmembrar a atual Seprotur – Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo. “Precisamos da criação de mecanismos para o desenvolvimento de todo o Estado e não só de municípios isolados. Para isso vamos contar com grupos de trabalho, formados por representantes do governo e de entidades representativas, como a Famasul”, ressaltou.

Mudanças na logística para escoamento da produção foram tratadas com insistência pelo candidato do PT, que durante o evento, garantiu a redução de impostos que têm impacto direto sobre a produção agropecuária. “Vou reduzir a alíquota do óleo diesel em 14%, insistir na revitalização da ferrovia Noroeste e investir nos portos secos e hidrovias”, pontuou.

Delcídio do Amaral também fez questão de destacar o emprego de novas tecnologias para o campo. “Sou a favor da tecnologia e da transgenia, desde que haja comprometimento com o meio ambiente e sustentabilidade. Também incentivaremos as escolas rurais para que tenham compatibilidade com a produção local e estimule uma nova formatação nas instituições que abordarão a ciência no campo”.

Delcídio do Amaral foi o primeiro candidato a se apresentar no encontro dos candidatos a governo do Estado que melhor pontuam nas pesquisas de intenção de voto com o setor produtivo. E evento foi realizado pelo Sistema Famasul, em parceria com a Associação dos Produtores de Soja – Aprosoja/MS e a Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB e foi conduzido a partir das propostas apresentadas pelo setor produtivo no documento “O que esperamos do próximo Governador – Contribuições da Agropecuária para o Desenvolvimento Socioeconômico de MS”. O documento foi elaborado com a contribuição de entidades técnicas representativas, sindicatos rurais, técnicos, associações de classe e produtores rurais, englobando propostas para os diferentes segmentos que integram o setor. Também participaram do evento os candidatos ao Governo de MS, Nelson Trad Filho (PMDB) e Reinaldo Azambuja (PSDB).