Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 28/11/2012

Divulgação dos benefícios da carne bovina é pouca, diz pesquisadora

Márcia Dutra de Barcellos foi palestra do Seminário Origem em Campo Grande.

Anderson Viegas

O potencial da carne bovina ainda é extremamente mal aproveitado no que se refere a divulgação dos seus benefícios para a saúde. A afirmação foi feita pela doutora em agronegócios e pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufgrs), Márcia Dutra de Barcellos (foto em destaque), durante palestra no 1º Seminário sobre Potencialidades de Agregação de Valor na Cadeia Produtiva da Pecuária de Corte no Mato Grosso do Sul (Origem 2012).

Márcia citou o caso dos frangos label rouge, na França, como um caso de sucesso na divulgação de benefícios de um produto para agregar valor a ele e aumentar seu valor no mercado. “Foi um trabalho que começou na década de 60 e que resultou na certificação de 6 mil fazendas. Foi criado um selo de qualidade que assegura aos consumidores que essas aves têm mais sabor, mais proteína, menos água e balanço de ácidos graxos. Hoje, de cada três frangos vendidos em supermercados franceses, dois são label rouge e por um preço premium”, explicou.

Em âmbito nacional, a doutora diz que já existem algumas iniciativas para tentar agregar valor a carne bovina, entre elas a do grupo Pão de Açúcar. Dois produtos, a carne de terneiro, que vem de um animal com dez meses e que possui 27% menos calorias que a convencional, e a de novilho, que vem um bovino de 16 meses e tem 31% menos calorias e 63% de gordura total, são oferecidas aos consumidores em embalagens diferencias, que são feitas de papel e possuem informações sobre a procedência e o programa de qualidade que cerca o produto.

O seminário termina nesta terça-feira (27) e está sendo realizado pela Embrapa com apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico, Associação Novilho Precoce de Mato Grosso do Sul, Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems) e o Sebrae.