Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 23/05/2014

Produção de algodão entra na reta final da safra em MS

No sul do Estado, com menor área por região, a colheita já está concluída.

Ampasul

Nesta quinta-feira, 22 de maio, o Programa Fitossanitário do Algodão de MS, da Ampasul, Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Algodão publicou mais um relatório semanal.

Mostra o relatório que a maioria das lavouras de algodão do Estado entram na fase final de produção. Os primeiros algodoais semeados estão na fase de capulhos, com aproximadamente 50% das maçãs abertas. Algumas propriedades começarão a desfolhá-los nas próximas semanas.

No sul do Estado, com menor área por região, a colheita já está concluída e os produtores realizam a destruição das soqueiras, rebrotas, plantas voluntárias e planejam a próxima safra, incluindo as negociações de insumos e a comercialização.

Alerta o relatório, aos produtores da região central, no norte e do nordeste, que uma das estratégias para reduzir a população de bicudo no final de safra, é incluir o uso de inseticidas no momento da desfolha. “Isso é importante para o bicudo não dispersar para talhões tardios e vizinhos, ou para os abrigos de entressafra. Igualmente nesta fase é importante ficar atento às eventuais populações de mosca branca e pulgões que podem açucarar as fibras” alerta o Engenheiro Agrônomo Danilo Suniga de Moraes, coordenador técnico da Ampasul.

Com a maioria do algodão safra entrando na fase final do ciclo, os cotonicultores devem ficar vigilantes com o manejo e a manutenção de suas lavouras limpas em relação às plantas daninhas, pois estas podem vir atrapalhar o desenvolvimento da colheita, no caso de embuchamento das unidades das colhedoras. Outra preocupação, neste caso é a contaminação da pluma colhida, fator que interfere diretamente na qualidade e comercialização da fibra, alerta o relatório da semana.

Algodão safrinha, ou adensado

Apesar da ausência de precipitações nas últimas semanas, o algodão safrinha apresenta bom pegamento e desenvolvimento de estruturas reprodutivas até o momento, entretanto a mancha de ramulária tem aumentado significativamente nos últimos dias, em algumas propriedades já realizaram seis ou mais aplicações de fungicidas específicos para o controle da doença.

Outros pontos que devem ser observados são os índices de pragas como mosca branca, pulgão e ácaros que aumentam a cada dia que passa, podendo melar as fibras ou transmitir virose tardia, no caso do pulgão.

O relatório da semana ainda leva aos cotonicultores, recomendações para controle das lagartas, mesmo em áreas com algodão transgênico, resistente à praga. O pulgão e a ramulária igualmente preocupam e merecem atenção do produtor.