Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 09/05/2014

Por rota bioceânica, MS vai construir duas pontes para o Paraguai

Governo de MS pretende investir quase R$ 14 milhões em pontes na fronteira com o Paraguai.

Da assessoria

O governo de Mato Grosso do Sul vai construir com recursos próprios no valor de quase R$ 14 milhões duas pontes de concreto na fronteira com o Paraguai. O anúncio foi feito pelo governador nesta quinta-feira (8) durante uma reunião com a comitiva do Paraguai, liderada pelo vice-presidente Juan Afara Macial. No encontro foram discutidas ações, atividades e empreendimentos conjuntos com vistas a acelerar o desenvolvimento das duas regiões.

“O Estado já tem os projetos executivos das duas pontes sobre o rio Apa e executará em parceria com o Paraguai em um protocolo de intenções onde eles utilizarão o Mato Grosso do Sul como estado parceiro. Uma sociedade boa é aquela que se estabelece em igualdade de condições com os parceiros e é isto que estamos propondo”, comentou o governador salientando que além de rota rodoviária e num futuro próximo, rota ferroviária é importante para o desenvolvimento contar com a utilização da hidrovia Paraguai. “É vital para o Paraguai, para Mato Grosso do Sul e para o Brasil”, destacou.

O objetivo, de acordo com Puccinelli é encurtar distância com a rota rodoviária, ferroviária e a hidrovia numa integração logística. “Isso dá a oportunidade de comercializar com os portos asiáticos. E em Porto Murtinho depois de muitos anos estamos finalmente resolvendo a questão do porto”, disse informando ainda que o grupo chinês da indústria BBCA instalada em Maracajú quer fazer de lá um porto importante.

Pontes

A previsão conforme o governador é de inaugurar as duas pontes de concreto ainda este ano. Todas serão construídas sobre o rio Apa que divide o Paraguai com Mato Grosso do Sul. Uma ponte será de 180 metros de comprimento por 13,5 metros de largura ligando a cidade sul-mato-grossense de Porto Murtinho a Valleny, no Paraguai e uma outra estrutura que terá 120 metros por 13,5 m de largura ligará as cidades de San Carlo, no país vizinho ao município de Caracol.

“As duas pontes representam quase R$ 14 milhões de recursos próprios estaduais, um recurso que é fruto da economia do Estado. Queremos dar a ordem de serviço para o início das obras no mês de julho deste ano com previsão de inaugurar até o fim do ano”, informou o secretário de Estado de Obras, Edson Giroto.

Giroto destacou que com a chegada das novas pontes, o Estado induz o crescimento e abertura de fronteira econômica. “É importante porque, além disso, Mato Grosso do Sul também conseguiu incluir a ferrovia de Ponta Porã até Campo Grande e de Maracaju à Porto Murtinho no PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], e com isto vamos criar também uma rota comercial navegável até o Porto de Concepcion para que possa atingir a Bacia da Prata e tanto a Ásia como a Europa. O Estado vem crescendo hoje nos números que crescem a China”, ressaltou.

Mato Grosso do Sul defende a integração bioceânica com a busca de uma saída para o pacífico. “Nunca tive dúvidas que as obras do governo estadual mudariam a economia e que a diversificação da matriz econômica iria acontecer. Sempre soubemos que teríamos que buscar essa integração comercial com o nosso país irmão que é o Paraguai”, comentou Giroto.

Uma integração que vai ligar duas regiões importantes que é a da pecuária ligando Caracol com San Carlo e ainda Porto Murtinho com Valleny que é grande Província de calcário e cimento do Paraguai. A notícia foi comemorada pelo vice-presidente do Paraguai, Juan Afara Maciel. “É de sumo interesse para o Paraguai a construção dessas duas pontes. Estamos aqui para trabalhar com a nossa equipe técnica essa realidade que será uma verdadeira integração em um ponto estratégico para ambos os países. Estamos muito contentes com esse empreendimento importante”, disse.

Para o governador de Concepcion, Luis Adolfo Urbieta, era o que o Paraguai sonhava. “Estamos muito agradecidos ao governo do Estado que vai investir nesta obra. Esta ponte é de suma importância para os povos em função do desenvolvimento turístico, econômico e social que vai promover a realização de um grande sonho”, agradeceu.

Um sonho de mais de 25 anos, conforme o prefeito de Porto Murtinho, Heitor Miranda. “É um sonho antigo e isso aqui é uma reunião importante porque acredito que agora as coisas começam a ser concretizadas. A grande dificuldade era essa travessia e com a balsa encarece. Com a ponte facilita e acelera o movimento de cargas e o turismo. Uma coisa fantástica para a região e Mato Grosso do Sul”, destacou.

De acordo com o prefeito, a ponte sobre o rio Apa vai representar a ligação do município com uma região forte porque tem indústria de cimento e riquíssimos minérios de mármore e granito. “Isso é bom para o turismo já que tem turistas que vem de Assuncion para ir a Bonito, então encurtaria o caminho. Há possibilidade ainda de derivar para o Pacifico integrando o deserto do Atacama, os Andes com o Chaco, com o Pantanal de Mato Grosso do Sul e o circuito de água de Jardim, Bonito e Bodoquena”, finalizou Heitor Miranda.