Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 26/04/2014

Cultivar de soja da Embrapa é tri-campeã de ranking de produtividade em MS

BRS 284 se destaca em Ranking de Produtividade de Laguna Carapã pelo 3º ano consecutivo.

Da assessoria

A cultivar da Embrapa BRS 284 é tri-campeã! Por três anos consecutivos, a cultivar convencional (ou não-transgênica), que tem entre suas qualidades ser tolerante à presença do nematoide de galha Meloidogyne javanica, precoce e de crescimento indeterminado, venceu o Ranking de Produtividade de Laguna Carapã, em Mato Grosso do Sul.

Com o alto desempenho, a BRS 284 – desenvolvida pela Embrapa e comercializada pelas empresas instituidoras da Fundação Meridional – tem, a cada ano, despertado ainda mais o interesse dos produtores presentes no evento.

Novamente, como em 2013, a cultivar apareceu em três colocações: 1º, 3º e 4º lugares. A divulgação do resultado foi na quinta-feira, 24 de abril, durante o 5º Ranking de Produtividade de Laguna Carapã do qual participaram 28 produtores rurais.

O 1º colocado do ranking é o agricultor Nelson Peteck, com 78,92 sacas/hectare de produtividade. O produtor foi representado pelo consultor técnico Antonio Rodrigues Neto. “A cultivar só não produziu mais, porque choveu no período da colheita”, ressaltou.

Pela segunda safra consecutiva, o produtor Peteck cultiva a BRS 284 em 200 hectares. “Até hoje, não tem soja que produza mais na região que a BRS 284”, afirma o consultor. E completa: “É uma variedade que vale a pena mesmo, se não tivesse bonificação”, lembrando que o mercado bonifica o produtor que cultiva soja não-transgênica, que também possui a vantagem de não ter taxa tecnológica. Na última safra, as convencionais tiveram cerca de 10% de bonificação em seu valor.

Os outros dois premiados com alta produtividade são o Grupo Bohn, na 3ª colocação, com 77,26 sacas/hectare; e na 4ª colocação, Ladi Cassol, com produtividade de 73,51 sacas/hectare.

Destaque em diferentes regiões

Mas a BRS 284 não é indicada somente para as regiões sul e centro-norte de Mato Grosso do Sul, mas também para os Estados de São Paulo, de Santa Catarina, do Paraná, de Minas Gerais (Triângulo e Alto Paranaíba) e de Goiás (sul e sudoeste).

Para o pesquisador Harley Nonato de Oliveira, chefe adjunto de P&D e chefe geral em exercício da Embrapa Agropecuária Oeste, Unidade de Pesquisa da Embrapa, em Dourados, MS, o resultado do ranking e da boa produtividade nos Estados citados, “é fruto da qualidade dos trabalhos de pesquisa que vem sendo desenvolvidos pela Embrapa", afirmou o pesquisador.

Também ao analisar a avaliação de desempenho da cultivar, Euclides Maranho, analista e supervisor do Setor de Implementação da Programação de Transferência de Tecnologia, diz que "isso é o resultado da busca pelo aumento da qualidade do produto, rusticidade e versatilidade do material".

Segundo os organizadores do ranking, o evento procura estimular o produtor rural a buscar mais eficiência na produção da soja. “Queremos propor metas aos produtores e um desafio a si mesmos: produzir bem e com qualidade”, incentivou o secretário da agricultura e pecuária do município, Douglas Matzenbacher.