Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 25/03/2014

Governador entrega equipamentos para os beneficiários do Leite Forte

Foram entregues veículos, resfriadores, ordenhadeiras e kits de irrigação.

Da assessoria

Durante a abertura oficial do Encontro Regional de Arranjos Produtivos Locais (APLs) do leite da região central e da fronteira de Mato Grosso do Sul, o governador André Puccinelli realizou a entrega dos equipamentos e veículos adquiridos para o Programa Estadual Leite Forte. O evento aconteceu nesta segunda-feira (24), no auditório Tatersal, do Parque Laucídio Coelho, na Capital. “Hoje estamos entregando 78 veículos e 77 resfriadores adquiridos com verba nossa, 150 ordenhadeiras provenientes do MDA [Ministério de Desenvolvimento Agrário] e 500 kits de irrigação de um empréstimo nosso feito junto ao BNDES. Isso se chama parceria para ter produção, pois em estado que produz ganha o produtor se o programa for bom, o dinheiro vai para o bolso e a renda é distribuída para todos os municípios. O imposto vai para o estado e enfim melhora a qualidade de vida de todos”, avaliou André .

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo, Tereza Cristina Correa da Costa, o Programa Leite Forte elegeu como prioridade a agricultura familiar do estado e através de um diagnóstico descobriu-se porque o setor leiteiro não era alavancado e apresentava resultados ruins. “Percebemos que faltava capacitação para os produtores e foco dos técnicos para esse segmento. Com apoio do Governo do Estado já realizamos a capacitação de 100 técnicos, que foram para a Embrapa Gado de Leite, em Coronel Pacheco [MG], onde permaneceram por 11 dias. O nosso principal objetivo é que o produtor tenha uma produção constante de leite, que mantenha a mesma tanto na época da seca quanto na das águas”, disse.

Ainda segundo a secretária, outro ponto importante do Programa é a permanência dos jovens no campo. “Tem casos que me emocionam. Conheço assentamentos onde os produtores compraram essa ideia, a tecnologia, e hoje estão trazendo de volta seus filhos para propriedade para ajudar, porque já compensa, já tem renda. Tudo isso leva para as famílias uma vida mais digna e que valha a pena. Os jovens não precisam mais sair, ir para as periferias das cidades e terem subempregos. E nós precisamos de jovens no campo, nossa população rural está envelhecendo. Com programas desse tipo estamos resgatando esses jovens para ficarem nas propriedades ajudando seus pais, a terem renda e a constituírem suas famílias”.

Para Lucilha de Almeida, produtora da região de Terenos, o cenário do setor leiteiro começou a mudar em 2012. Ela e mais 39 produtores após terem ouvido do laticínio que a produção e a qualidade do leite eram ruins, foram em busca de capacitação. “Queríamos ter certeza da qualidade do nosso leite e durante a capacitação nos foi dito que se quiséssemos ter um leite de qualidade no estado o nosso produto deveria ter menos de 100 mil células somáticas, embora a Instrução Normativa 62 preconize que seja abaixo de 60 mil. Topamos o desafio e formamos o primeiro programa de qualidade de leite no estado, que entrega leite no tanque comunitário”, contou.

Com a entrega de hoje, a Cooperativa da qual Lucilha faz parte foi contemplada com 52 kits de irrigação e ordenhadeiras. “Com a assistência técnica que já recebemos e com os kits iremos dobrar a produção. Antes uma novilha ocupava um hectare, com os kits, o pasto rotacionado e adubado vamos poder colocar de 10 a 12 vacas. Com isso vamos reduzir o custo, diminuir o tamanho da área e aumentar a produção. Na questão da ordenha também vai melhorar, vamos diminuir o serviço. Tudo isso vai melhorar a vida do produtor e dos nossos filhos que irão retornar, pois no campo está a nossa verdadeira riqueza. Nós produzimos lá para vocês se alimentarem aqui. Nós sempre vimos a atenção especial do Governo com a soja, o boi, mas desta vez fomos atendidos com um Programa e acredito que isso transformará nosso MS”, afirmou.

1º Encontro de APLs do leite

O primeiro encontro de Arranjos Produtivos Locais do do Leite das regiões Oeste Fronteira e Central tem como objetivo reunir empresários, produtores, gestores técnicos e agentes envolvidos no segmento da cadeia produtiva do leite para apresentar as ações desenvolvidas e discutir a política das APLs de forma objetiva e prática. Além de Campo Grande, os municípios pólos das cinco bacias leiteiras do Estado estão sediando encontros regionais.

Participam do evento representantes dos municípios de Campo Grande, Bandeirantes, Camapuã, Corguinho, Dois Irmãos do Buriti, Jaraguari, Maracaju, Nova Alvorada do Sul, Rio Brilhante, Rio Negro, Rochedo, São Gabriel do Oeste, Sidrolandia, Terenos, Ribas do Rio Pardo, Corumbá, Ladario, Miranda, Bodoquena, Porto Murtinho, Caracol, Bela Vista, Aquidauana, Anastácio, Bonito, Nioaque, Guia Lopes da Laguna e Jardim.