Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 05/03/2014

Dinapec vai destacar benefícios dos sistemas integrados de produção

Evento será promovido pela Embrapa entre os dias 12 e 14 de março.

Da assessoria

A Dinapec (Dinâmica Agropecuária), que será realizada no período de 12 a 14 de março, na sede da Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande, terá um roteiro tecnológico específico sobre integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF). Nele, será apresentado um panorama sobre os benefícios do sistema, tanto de ordem técnica, quanto econômica e ambiental, sendo que este último aspecto vai enfatizar, além do bem-estar animal, o sequestro de carbono promovido pelas árvores que compõem o sistema e o caracterizam como de baixa emissão de carbono.

O pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Roberto Giolo de Almeida, informa que todos os componentes do sistema – arbóreo, ou florestal, lavoura e pecuária – serão apresentados. Sobre o arbóreo, serão destacadas as espécies mais indicadas para iLPF. “Quanto à pastagem, serão abordadas as melhores espécies tolerantes ao sombreamento e alguns resultados de pesquisas que estão sendo realizadas na Empresa, principalmente, com os capins Piatã e Massai”, diz.

O desempenho animal, no caso gado de corte, também é um dos temas do roteiro tecnológico que vai mostrar a importância das árvores para o bem-estar animal. “Sobre o componente lavoura, que normalmente é usado no início do sistema para a recuperação das áreas de pastagens, mas que pode eventualmente ser utilizado durante o ciclo do sistema em rotação com a própria pastagem, apresentaremos dados com milho, sorgo e soja de experimentos realizados na Embrapa Gado de Corte”, acrescenta o pesquisador.

ILP

No roteiro tecnológico sobre Integração Lavoura-Pecuária (ILP), a Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados, MS) vai abordar o tema “Adubos Verdes para recuperação do solo e melhoria do desempenho de culturas de interesse comercial”. Os benefícios da utilização de adubos verdes vão além da melhoria na qualidade do solo, como aumento dos teores de matéria orgânica, descompactação e retenção de água no solo, pois é possível obter ganhos de rendimento com culturas de interesse comercial quando cultivadas em sucessão aos adubos verdes.

Outro tema é o “Consórcio Milho + BRS Paiaguás para safrinha”, que visa promover a cobertura do solo e ao mesmo tempo proporcionar rendimentos com a cultura do milho na safrinha. Após a colheita do milho, a forrageira é dessecada e permanece no solo como cobertura para a semeadura da soja em Sistema Plantio Direto.

Ainda em ILP, a Embrapa Agropecuária Oeste vai mostrar “Cultivares de milho para refúgio”. De acordo com o supervisor de Implementação da Programação de Transferência de Tecnologia, Euclides Maranho, atualmente estão disponíveis no mercado diversas cultivares de milho BRS não Bt como opção para refúgio. “Para preservar a tecnologia Bt com todos os seus benefícios, a estratégia do refúgio é fundamental, bem como a escolha da cultivar mais adequada para cada condição de lavoura”, explica.

No mesmo roteiro tecnológico, a Fundação MS abordará os temas: Consórcio de milho com capins: tecnologia de implantação; Expansão da Agricultura em áreas de pastagem no Mato Grosso do Sul; Consórcio de milho com capins: Produção de silagem e formação de pastagem e Correção de fertilidade do solo em áreas de abertura.