Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 14/01/2014

Receita de MS com exportação de açúcar cai 28,39% em 2013

Produto, no entanto, continua com um dos principais da pauta de exportações do Estado.

Anderson Viegas

A receita de Mato Grosso do Sul com a exportação de açúcar caiu 28,39% em 2013 frente a 2012, recuando de US$ 693,106 milhões para US$ 496,401 milhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (13), pelo Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior (Aliceweb), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Conforme o Aliceweb, também ocorreu uma retração no volume do alimento vendido no mercado internacional, 13,45%, caindo de 1,370 milhão de toneladas para 1,186 milhão de toneladas do produto.

Apesar do recuo, o produto, conforme o levantamento continuou sendo um dos principais itens da pauta de exportações de Mato Grosso do Sul no ano passado. No ranking estadual ocupou a quarta posição em faturamento, representando 9,44% da receita total obtida pelo estado com as vendas internacionais.

Na listagem estadual de receita ficou atrás apenas da soja em grãos (com US$ 1,201 bilhão), da celulose (com US$ 1,040 bilhão) e da carne desossada e congelada de bovinos (com US$ 511,278 milhões). Junto com esses três produtos e com o milho em grãos que vem na quinta posição do ranking (com US$ 434,362 milhões), o açúcar forma um grupo de itens que no ano passado respondeu por 70,06% do faturamento total do Estado com as exportações.

Em 2013, o açúcar produzido pelas usinas sul-mato-grossenses foi comercializado com 36 destinos: Rússia, Argélia, Canadá, Malásia, Geórgia, Bangladesh, Índia, China, Emirados Arabes, Israel, Bahrein, Uruguai, Lituânia, Chile, França, Venezuela, Croácia, Marrocos, Uzbequistão, Suíça, Nigéria, Tunísia, Congo, Polônia, Irã, Portugal, Arábia Saudita, Indonésia, Egito, Espanha, Bulgária, Nova Zelândia, Armênia, África do Sul, Ucrânia e Paraguai.

O principal comprador do açúcar “Made in MS” foi a Rússia. O país comprou 197,796 mil toneladas do alimento, o que representou 16,67% do total e resultou em um faturamento para as empresas do Estado de US$ 80,853 milhões, o equivalente a 16,28% do total vendido do produto.