Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 10/01/2014

Governo de MS conta com R$ 400 mil para ações contra a Helicoverpa

Recursos vem do Fundems e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Anderson Viegas

O governo de Mato Grosso do Sul já conta com R$ 400 mil para o desenvolvimento de ações contra a lagarta Helicoverpa armigera. A informação foi divulgada pela secretária de Desenvolvimento Agrário, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur), Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias.

A lagarta é mais destrutiva do gênero Helicoverpa e ataca diversas culturas, como soja, milho e algodão, por exemplo.

Segundo a secretária, desses recursos, R$ 300 mil vem do Fundo de Desenvolvimento das Culturas de Milho e da Soja de Mato Grosso do Sul (Fundems). Outros R$ 100 mil vem de convênio entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro).

A secretária diz que o plano estadual para o manejo da praga já está pronto e que ainda nesta semana o governo do Estado, instituições de pesquisa do agronegócio, com a Embrapa, por exemplo, e universidades vão definir as ações que serão intensificadas com a liberação dos recursos.

“Já estávamos realizando algumas ações, mas agora com os recursos específicos esse trabalho terá um reforço”, comenta.

Os primeiros focos da Helicoverpa armigera foram confirmados em Mato Grosso do Sul no início de dezembro, nos municípios de Chapadão do Sul, São Gabriel do Oeste e Naviraí. Depois a lagarta também foi encontrada em Maracaju.

No dia 19 de dezembro foi publicado no Diário Oficial da União a portaria que declarou estado de emergência fitossanitária em Mato Grosso do Sul em razão do risco de surto da lagarta.

Com a decretação de emergência fitossanitária o estado foi autorizado a elaborar, conforme orientação do Mapa, um plano de controle da praga, adotando uma série de medidas que já estavam previstas em uma portaria do próprio ministério.