Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 12/12/2013

Produtores rurais protestam em frente ao Ministério da Justiça

O movimento que iniciou na manhã desta quarta-feira (11), é liderado pela Frente Parlamentar do Agronegócio (FPA).

Famasul

Cerca de 50 produtores rurais de Mato Grosso do Sul se uniram a produtores de outros seis estados em frente ao Ministério da Justiça para protestar. Afetados pelos estudos de demarcação de terras da Fundação Nacional do Índio (Funai) os manifestantes reclamam da morosidade e omissão do Governo Federal nas decisões referentes aos litígios de terra. O movimento que iniciou na manhã desta quarta-feira (11), é liderado pela Frente Parlamentar do Agronegócio (FPA).

Os produtores também aguardam o pronunciamento do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a respeito da desintrusão de sete mil produtores familiares, no Maranhão, agendada para 30 de dezembro. Naquela região a Funai pretende o despejo destes produtores, para que 33 indígenas possam ocupar a área.

Com apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Sistema Famasul), representantes de sindicatos rurais do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Maranhão, Paraná, Bahia, Rio Grande do Sul e Santa Catarina participam do protesto e também aguardam posicionamento do Governo Federal sobre o despejo de produtores rurais da Suiá-Missu (MT), quanto a compra das terras na região da Fazenda Buriti em MS e sobre o fim das invasões por indígenas às propriedades privadas.

“Só quem está lá na ponta sabe o que é ter sua casa tomada, mas não vamos recuar enquanto não vermos a solução para a questão das novas demarcações. Vamos resistir a tudo que está sendo colocado a quem está puxando a economia desse país”, enfatizou o presidente da Famasul, Eduardo Riedel, durante audiência pública ocorrida hoje com os produtores rurais que participam do protesto em Brasília.

PEC 215

A Mesa Diretora da Comissão Especial formada para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 215), que transfere do Executivo para o Legislativo a competência para aprovação de demarcação das terras indígenas, foi formada nesta quarta-feira (11) com acompanhamento do presidente da Famasul, Eduardo Riedel e dos parlamentares de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, Luiz Henrique Mandetta, Akira Otsubo e do senador Waldemir Moka.

Integra a Mesa Diretora da Comissão Especial como presidente, o deputado Afonso Florence (PT/BA), como primeiro vice-presidente o parlamentar Nilson Leitão (PSDB/MT), segundo vice-presidente Luis Carlos Heinze (PP/RS), teceiro vice-presidente Junji Abe (PSD/SP), e o relator Osmar Serraglio (PMDB/PR). A primeira reunião da comissão será no dia 17 de dezembro.