Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 15/10/2013

Governo destaca empenho do Estado para solucionar conflitos agrários

Puccinelli lembrou que governo tem realizado constantes reuniões com o Ministério da Justiça, com produtores e indígenas.

O governador André Puccinelli disse nesta segunda-feira (14), em entrevista após o Encontro do Projovem Trabalhador, que o governo do Estado tem reforçado presença e atuado com intensidade para resolução dos conflitos de terras indígenas em Mato Grosso do Sul.

O governo do Estado tem realizado constantemente reuniões com o Ministério da Justiça, representantes dos produtores rurais e indígenas. Segundo Puccinelli o governo tem cumprido seu papel nesta discusão sobre a demarcação de terras. “Não é por falta de alerta, nem por falta de participação do governo do Estado que a situação ainda não está solucionada”, informou o governador. “Temos feito grande dispêndio financeiro na compra das cestas alimentares, do Vale Universidade Indígena, do Aldeia Produtiva, dos tratores comprados com recursos próprios para atender a comunidade indígena de Mato Grosso do Sul, mas precisamos principalmente, ter [da União] um cronograma para cumprir a palavra emprenhada”, cobrou Puccinelli.

Três Comissões, coordenadas por uma Mesa Deliberativa, têm estudado por meio de levantamento das extensões e valores de 53 áreas pleiteadas como indígenas, bem como avaliado e analisado juridicamente as regiões que possuem áreas indígenas que possam ser adquiridas pelo governo federal e redistribuídas às comunidades indígenas. “O governo federal está sendo por nós alertado rotineiramente dos percalços que ocorrem e precisam tomar providências”, alertou o governador.

Mesmo alertando constantemente o governo federal, o governo do Estado também tem cobrado há algum tempo uma definição por parte da União, para o conflito de terras indígenas. “É importante que eles respondam responsabilizando-se por esta questão, pois foi ela [a União] que titulou as terras, portanto, em Mato Grosso do Sul essa posse dos produtores não é grilagem de terra”, reforçou André.

O governador ainda enfatizou que é preciso que Estado e União deem atenção à comunidade indígena. “Precisa que seja dada atenção aos patrícios indígenas e precisa ser dada atenção aos brasileiros brancos. Enfim, quando a União entender que todos nós somos brasileiros, não pela cor da pele, pela etnia ou pela cultura, quando a União considerar os patrícios indígenas brasileiros de verdade, eles resolverão o problema, enquanto isso o conflito se estabelece”, avaliou o governador.