Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 10/10/2013

Andefedu promove workshop para educação e segurança no campo

Evento acontece no dia 22 de outubro em Brasília (DF).

Andef

A área de educação da Andef (Associação Nacional de Defesa Vegetal) promove o 1º Workshop Brasil Educação e Segurança no Campo no dia 22 de outubro, em Brasília/DF. O objetivo do evento é apresentar os trabalhos desenvolvidos em prol da educação no campo e trocar informações com outras instituições buscando melhorias no processo de educação para o homem do campo.

“Será uma oportunidade de apresentarmos os projetos de educação no campo para os participantes que são desde universidades até órgãos do governo como Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Temos que mostrar a nossa força e contribuir para o desenvolvimento do agronegócio a nível nacional”, destaca José Annes Marinho, gerente de educação da Andef.

Atualmente a Andefedu têm trabalhos voltados para a capacitação e educação no campo como o Programa Agro +: Por uma agricultura mais sustentável, parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (UFES); o MBA em Fitossanidade, parceria com o Instituto Agrônomico de Campinas (IAC); e o projeto recém-lançado de Certificação Aeroagrícola Sustentável (CAS), parceria com pesquisadores ligados a Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) da Unesp, Universidade Federal de Lavras (UFLA) e Universidade Federal de Uberlândia (UFU), e Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag).

“Nossa agricultura mudou, o agronegócio mudou: somos geradores de emprego (uma a cada três vagas abertas no Brasil é para o campo), somos responsáveis por ¼ do PIB (Produto Interno Bruto) e isso impulsiona a economia do nosso país. Temos muito o quê comemorar, mas ainda há muito o quê fazer. Temos que nos unir enquanto representantes desse setor, com foco em aumentar a produtividade, melhorar a qualidade de vida e ter a certeza que os produtores têm cuidados com a saúde e com o meio ambiente”, conclui Marinho.