Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 08/10/2013

Em MS, associações apícolas recebem treinamento de segurança

O treinamento foi ministrado por técnicos de segurança do trabalho da Fibria.

Quatro associações apícolas que fazem parte do programa Colmeias, em Mato Grosso do Sul, participaram de treinamentos de segurança realizado pela Fibria.

As orientações foram ministradas por técnicos de segurança do trabalho e entre os assuntos, foi apresentada a importância do uso de equipamentos de segurança individual (EPI). No Brasil a exigência do EPI está regulamentada na Norma Regulamentadora (NR-6) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), e o uso pode evitar graves acidentes.

A postura correta ao realizar atividades comuns, como o movimento de levantar-se ou abaixar-se para fazer alguma manutenção, puxar ou empurrar colmeias, também foram discutidos. Ao fazer esses movimentos simples de forma errada por um longo período pode ocasionar sérias lesões.

Durante o treinamento, também foram debatidos outros assuntos, como o descarte correto do lixo em lixeiras seletivas, atenção à sinalização e alerta a incêndios. “As colmeias estão localizadas em meio às florestas de eucalipto e um foco de incêndio pode causar prejuízos tanto para a Fibria quanto para os apicultores, por isso reforçamos o canal Fale com a Fibria e por meio do número 0800 642 8162, tanto os apicultores, quanto a população, pode nos alertar sobre incêndios florestais entre outros assuntos sobre a Unidade”, explica a consultora de sustentabilidade, Evânia Lopes.

Sobre o Colmeias

Há quatro anos em atividade, o programa Colmeias atende 878 apicultores nos Estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Bahia, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. O objetivo do programa é contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos apicultores, gerando trabalho e renda por meio do desenvolvimento e aperfeiçoamento da atividade apícola dentro das florestas plantadas de eucalipto da Fibria.

Em Mato Grosso do Sul o programa atende mais de 70 apicultores, que em 2012, utilizaram uma área de 45.970 hectares, em meio às florestas plantadas da Fibria, como pasto apícola para 3.300 colmeias, que renderam quase 200 mil toneladas de mel.