Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 07/10/2013

Biosul destaca potencialidade de MS na produção de cana-de-açúcar

Palestra foi apresentada na tarde desta quinta-feira (3), em Dourados

Da Redação

O presidente da Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Roberto Hollanda, destacou nesta quinta-feira (3), na abertura da programação do segundo dia do Congresso da Cana (Canasul), em Dourados, a potencialidade do Estado para o setor sucroenergético.

“O Mato Grosso do Sul é destaque no ranking de produção da cana-de-açúcar. Hoje estamos em quinta lugar, mas temos potencial para subir no ranking e ocupar o quatro lugar”, comentou Hollanda.

O presidente da Biosul disse que nesta safra, mesmo com uma frustração de produção provocada pelas geadas que atingiram os canaviais em agosto e setembro, que a produção deve crescer 8,04% em relação ao ciclo passado e chegar as 40,3 milhões de toneladas.

Ele lembrou que o setor vem enfrentando uma série de dificuldades nos últimos anos e que um dos principais problemas é falta de políticas públicas para o segmento, como a que vem beneficiando a gasolina por exemplo, e que isso tem atrasado, por exemplo, a expansão da bioeletricidade.

Hollanda comentou que mesmo com esse cenário, o setor vem fazendo sua parte e investiu nos últimos anos quase US$ 15 bilhões em mecanização, logística, ampliação e plantio de novos canaviais e cogeração.

Por fim, lembrou do esforço que o segmento sucroenergético tem feito em capacitação e qualificação de mão de obra, sendo um dos principais instrumentos, o Pronatec Brasil maior, que início em outubro cursos para 1,7 mil funcionários de usinas no Estado.

“Com o convênio entre a Biosul e o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, vamos requalificar a mão de obra nas usinas. Para 2014 serão mais 3 mil vagas para atender a demanda do setor sucroenergético com qualidade”, comentou.

Para disponibilizar os cursos, ele explicou que o convênio recebe apoio do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) que já autorizaram 19 cursos em oito municípios de Mato Grosso do Sul.