Canais de Notícia

Agrobussines

Publicada em 23/09/2013

Produção de bioenergia foi tema de Workshop em Dourados

O fomento à formação de Recursos Humanos em Produção de Bioenergia foi o assunto do evento, que mostrou um panorama do setor em MS.

Biosul

Visando fomentar a formação de Recursos Humanos para a Produção de Bioenergia, foi realizado nesta quinta-feira (19) um workshop sobre o tema na UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul). Esta é a quarta edição do evento, que conta com a parceria da Petrobras. Nesta edição, os participantes participaram de palestras e debates com temas voltados para o setor sucroalcooleiro do Estado, bem como perspectivas de produção de bioenergia, entre outros.

A Biosul (Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul) participou do evento com palestra ministrada pelo diretor da instituição, Isaias Bernardini. “O tema foi O Setor Sucroalcooleiro de MS: Uma visão macro. Mostramos a evolução da produção, além de dados dos municípios canavieiros. Os participantes ficaram impressionados em como aumenta a renda das cidades com a instalação das usinas”, comenta.

Bernardini falou também sobre as expectativas de crescimento do setor até o ano de 2020. Para o etanol, uma das metas é atender 50% da demanda de veículos flex - atualmente é 36%. Já para o açúcar, a expectativa é manter a participação de 50% no mercado mundial. E, no quesito bioeletricidade, a intenção é aumentar de 2% para 18% a participação na matriz elétrica brasileira.

Com o tema “Perspectiva da Produção de Bioenergia no Estado de Mato Grosso do Sul”, o diretor executivo da Fundação MS, engenheiro agrônomo Renato Roscoe, também ministrou uma palestra. “Falamos das diferentes cadeias de bioenergia no Estado, da produção de óleo para biodiesel, cana para etanol. Enfim, foi feito um panorama geral”, destaca.

Ele acrescenta que, o que tem sido bastante observado é que a cana e a floresta têm crescido bastante no território sul-mato-grossense. “O interessante é que isso não está tirando o espaço da soja, por exemplo. A área plantada de soja também aumentou nos últimos quatro anos, com crescimento de 3% ao ano, mas temos muito espaço para essas cadeias se desenvolverem sem competirem uma com a outra”, enfatiza Roscoe.

Participaram do workshop, professores e acadêmicos dos cursos de Engenharia Ambiental, Engenharia Física, Engenharia Florestal, Química Industrial e Mestrado em Recursos Naturais da UEMS. Além das palestras, o evento serviu também para avaliar o grau de desempenho dos projetos em andamento da Universidade em parceria com a Petrobras.